segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Quarentena = REC

E REC é igual à QUARENTENA! não entendeu? vou explicar. REC é um filme ESPANHOL que fez muito sucesso em 2007 no mundo todo e conta a história de uma repórter e seu cameraman que são escalados para passar uma noite na estação de bombeiros da cidade de Barcelona. Tudo ia bem e até meio monótono, até que os bombeiros receberem uma chamada para verificar uma ocorrência que estava acontecendo em um prédio e é claro que Ângela, a repórter, e seu cameraman Pablo vão junto e o que parecia mais um chamado normal, se transforma no pior pesadelo de suas vidas, pois todos eles (bombeiros, Ângela, Pablo e os demais hospedes) acabam presos no prédio depois que o CCD – Centro de Controle de Doenças - lacra tudo e impede a saída de todos que estão lá dentro sem dar muitas explicações. Só com o decorrer do filme é que vamos descobrir que o motivo de eles estarem isolados é o fato de haver, dentro do prédio, um agente biológico altamente contagioso e que causa uma espécie de raiva nas pessoas que forem contaminadas tornando-as umas espécies de ZUMBIS... que babam, mordem, arranham, gritam e pra variar, são sedentos por carne fresca.(eca!) O filme é uma mistura de suspense/terror na dose certa e lembra muito A Bruxa de Blair, pois tudo o que o espectador assiste, é das imagens feitas pela câmera de Pablo que é encontrada pela policia e quando é colocada pra rodar conta toda a história, daí o nome – REC. Claro que Hollywood vendo o sucesso que o filme fez, tratou logo de encomendar o seu genérico intitulado, adivinhem... QUARENTENA, que conta praticamente a mesma história com exceção de alguns detalhes diferentes e de agora a cidade ser LOS ANGELES. E não é a primeira vez que o cinema americano copia uma produção estrangeira fazendo sua “versão”. Quer ver dois exemplos clássicos disso? O CHAMADO e O GRITO, que são “remakes” de filmes JAPONESES e quem já assistiu disse que é muito melhor e mais assustador que a versão yankee. Isso é mais uma informação que o “cinemeiros” traz pra você, pois se você não sabia disso, agora já sabe hehehe... REC é um filme bom daqueles que proporcionam vários sustos na platéia e eu mesmo cheguei a dar vários pinotes na poltrona do cinema quando estava assistindo e a continuação virá no ano que vem com REC 2, contando com a mesma dupla de diretores do primeiro filme Jaume Balagueró e Paco Plaza. Porém sua versão americana (lançada apenas um ano depois), em minha opinião, deixa um pouco a desejar. Mesmo sendo uma réplica quase idêntica, acho que algo se perde no caminho e aquela sensação de “deja vu” acaba estragando todas as surpresas do filme, em virtude disso foram feitas algumas alterações sutis no roteiro, além disso, as imagens do cameraman de QUARENTENA não têm aquela aparência de filme caseiro como acontece com REC, parecendo mais com uma câmera profissional de cinema. O lado tedioso da cobertura no corpo de bombeiros é meio escondido, sendo substituído por uma série de piadas sexuais entre a jornalista e os bombeiros. A personagem aqui não demonstra tanto a ambição em crescer na carreira e tem uma postura mais ativa no sentido de ajudar aos outros dentro do edifício. Ou seja, tornou-se menos egoísta. Só que era justamente esta característica que a tornava interessante diante da história, pois estava ali primeiro a jornalista e depois a pessoa. Nos extras do DVD de QUARENTENA ainda tem muita informação interessante como: making of; curiosidade de make-up design (ou seja, de maquiagem); ensaio com os dublês; comentários do filme com o diretor John Erick e o produtor Drew Dowdle e muitos trailers. Bom, na dúvida assista aos dois e tire suas próprias conclusões pois eu já dei minha opinião hehe...Grande abraço e até a próxima. Câmbio e desligo!

Curiosidades:
  1. A equipe de produção gravou a reação do público durante a pré-estréia de REC e depois lançou na NET como uma espécie de marketing do próprio filme. Se você quiser pode conferir http://www.youtube.com/watch?v=nfgZlMYj_NU. É até engraçado!
  2. Os diretores de REC, Jaume Balagueró e Paco Plaza, chegaram a rodar cenas em que nem mesmo os atores sabiam o que aconteceriam, justamente para captar a espontaneidade dos sustos.
  3. Ângela Vidal, a protagonista dos filmes, é vivida pela belíssima Manuela Velasco (ganhadora de vários prêmios) e parece que vai estar de volta em REC 2! ué, ela não morreu? ops... e na versão americana quem interpreta a personagem é Jennifer Carpenter, a Emily do filme O exorcismo de Emily Rose!!...vixe, vai de retro!!

Nada a ver: Aprendam a cantar o hino nacional!!!

Olha...eu não iria postar nada hoje....até falei com o Érico no início da tarde...mas não resisti....
Sempre notei que muita gente não sabe cantar o hino nacional brasileiro....isso é ridículo....se aprende na escola, desde moleque....bom...então vai aí minha contribuição...quem já "pegou essa aula" fique quieto pois muitos ainda não assistiram....


e a semana só começa...

Agora estou no Twitter: http://twitter.com/alexandre_jorge
adicionem....mandem mensagem...sei lá...

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

PERFIL: Alfred Hitchcock

Bem vindos à nova seção do nosso blog... PERFIL! que como o próprio nome já diz, vai trazer informações sobre a vida e obra de alguns ícones do cinema, seja ator (a), diretor(a) ou os dois. E pra começar, que tal falarmos de um sujeito conhecido como o mestre dos filmes de suspense e se estivesse vivo, esse mês iria completar 110 anos. Seu nome vocês já sabem: Alfred Hitchcock.
Sir Alfred Joseph Hitchcock nasceu em Londres, no dia 13 de agosto de 1889. Recebeu uma rígida educação católica na escola londrina St. Ignatius College. Perdeu o pai aos 14 anos e depois disso largou a escola e começou a trabalhar em uma companhia, onde desenvolveu trabalhos de design gráfico e publicidade. A sua carreira cinematográfica começou em 1920, com um emprego na Famous Players-Lasky, da Paramount Pictures e, durante dois anos, ele fez o "cartão" que aparecia em dialógos de filmes mudos. Logo aprendeu a criar roteiros e a editar. Em 1922, tornou-se cenógrafo e assistente de direção. Em 1922 fez o seu primeiro filme, chamado Number Thirteen, mas o projeto foi abandonado. Entre 1923 e 1925, Hitchcock trabalhou em Berlim, na UFA (Universum Film AG).
A sua criatividade surpreendeu os dirigentes do estúdio, que decidiram promovê-lo a diretor e, em
1925, ele ganhou a primeira chance como diretor no filme The Pleasure Garden, feito pela Ufa Studios na Alemanha. Em 1926 estreou no suspense com o filme The Lodger: A Story of the London Fog (no Brasil; O inquilino ou O locatário). Este filme seria o seu primeiro sucesso, baseado nos assassinatos de Jack, o Estripador. A partir daí, Hitchcock faria pelo menos uma aparição em cada uma de suas produções, o que se tornaria uma das suas marcas. Foi também o seu primeiro filme de suspense, gênero que o consagraria em todo o mundo. Hitchcock mudou-se para os Estados Unidos em 1939 e tornou-se cidadão norte-americano em 1955. Seu primeiro filme americano foi Rebecca, que rendeu ao cineasta sua primeira indicação ao Oscar.
Na
década de 1940, os filmes de Hitchcock tornaram-se mais diversificados, passando pelo género comédia em Mr. & Mrs. Smith (Um Casal do Barulho / Meu Marido é Solteiro) (de 1941), ao filme noir em Shadow of a Doubt (A Sombra de Uma Dúvida) (de 1943) e a ficção sobre leis em The Paradine Case (Agonia de Amor / O Caso Paradine) , de 1947. No começo dos anos 50, a MCA e o agente Lew Wasserman, que tinha como clientes James Stewart e Janet Leigh, tiveram grande importância nos filmes de Hitchcock. Com a ajuda de Wasseraman, Hitchcock teve grande liberdade criativa para trabalhar em seus filmes. Em 1954, o filme Dial M for Murder (Disque M Para Matar) trouxe Ray Milland e Grace Kelly nos papéis principais. Foi o primeiro filme em que Hitchcock trabalhou com Grace Kelly, baseado na peça escrita por Frederick Knotte, pela primeira vez, o diretor usou a técnica 3D.
Vertigo (Um Corpo Que Cai / A Mulher que Viveu Duas Vezes), com James Stewart e Kim Novak, de 1958, é visto como uma das obras-primas do diretor, embora na época tenha sido um fracasso comercial. O filme foi eleito entre os cem melhores filmes de todos os tempos pelo Instituto de Cinema Americano, em 1998. Psycho (Psicose / Psico) , de 1960, que teve como protagonista Janet Leigh, Anthony Perkins e Vera Miles, venceu o Globo de Ouro na categoria melhor atriz coadjuvante (Janet Leigh). O filme trouxe uma das cenas mais conhecidas da história do cinema, a famosa cena do chuveiro, quando a personagem de Janet Leigh é assassinada a facadas. O filme ficou na décima oitava posição entre os 100 melhores filmes do Instituto de Cinema Americano.
The Birds (Os Pássaros), de 1963 é baseado num conto de mesmo nome da escritora britânica Daphne Du Maurier e é protagonizado por Rod Taylor, Jessica Tandy e Tippi Hedren, esta última uma descoberta de Hitchcock. O filme inovou na trilha sonora e em efeitos especiais, e por este último motivo foi nomeado para o Oscar. Tippi Hedren, mãe da futura atriz Melanie Griffith, ganhou o Globo de Ouro. Em 1972, Hitchcok lançou Frenzy (Frenesi / Frenzy, Perigo na Noite), um thriller sobre crime que trouxe pela primeira vez cenas de nudez e palavras de baixo calão em um de seus filmes. O seu último filme foi Family Plot (Trama Macabra / Intriga em Família) com Karen Black e Bruce Dern
Em 1980, Alfred Hitchcock recebeu a KBE da Ordem do Império Britânico, da mãos da Rainha Elizabeth II. Ele morreria quatro meses depois (no dia 29 de abril) de insuficiência renal, em sua casa em Los Angeles. Este grande diretor, talvez o melhor de todos os tempos ou um dos melhores, morreu em 1980 de complicações renais. Seu último filme chama-se Trama Macabra. Hoje, 29 anos depois Alfred Hitchcock continua surpreendendo os fans, com as características marcantes de seus filmes que eram: o suspense (sempre seguido por uma música de fundo), o espectador com voyeur e suas pequenas aparições em todos seus filmes. Apesar de indicado seis vezes ao Oscar, cinco vezes como melhor diretor e uma como melhor produtor, jamais recebeu a cobiçada estatueta, juntando-se a outro gênio cinematográfico também nunca agraciado com o prêmio máximo da academia, Stanley Kubrick. Mesmo assim, seus filmes ainda impressionam, seja pela bela direção ou pela história bem escrita.
E você pode ajudar na futura edição da seção PERFIL do nosso blog escolhendo a próxima personalidade da qual você gostaria de saber um pouco mais. E os candidatos são:

a) Charles Chaplin b) Steven Spielberg c) Roman Polanski

Deixe seu comentário escolhendo o seu candidato ou então envie sua opição por e-mail para: eph.tst@hotmail.com. Um grande abraço a todos e participe pois contamos com sua participação.

domingo, 23 de agosto de 2009

Se beber, não case!!!

Não...Não venham me falar sobre comédia....aliás sobre comédia que ninguém dava Fucker nenhuma e que acabou rendendo mais de 300 milhões de dindin emeuriquiieeenossss....
Estou falando do filme....”Se beber, não case!”....O filme realmente é muito bom (Eu assisti)....e francamente não valeria tudo isso de bilheteria (mais de 300 milhões de dólares!!!!)...no entanto, foi o que arrecadou até aqui....
Eu já falei que o filme arrecadou mais de 300 milhões de dólares???
A história é simples....um cara vai se casar e três amigos preparam a despedida de solteiro, com tudo o que um “quase casado” tem direito....noitada em Lãs Vegas, mulheres, bebidas, farras em geral....o problema é que eles não lembram que nada disso aconteceu....e isso já era a manhã do dia seguinte...
Agora, imaginem acordar num quarto luxuoso de um Caesar Palace de Las vegas, sendo que o mesmo quarto destruído, uma galinha dando voltas pela sala, um tigre no banheiro, um bebê no armário, uma viatura de polícia na sua vaga de estacionamento e sem um dos amigos....justamente o que tem de casar no dia seguinte!!!
Fora isso, o filme conta também com alguns ingredientes que são fundamentais para prender a atenção de quem está assistindo....uma gangue japonesa ou chinesa...qual a diferença???....um chinês pelado, uma striper “benevolente” gente boa, um bebê de olhos azuis....e o Mike Tyson..ehhh ele mesmo...o Cara... fazendo o papel dele mesmo, só que um Mike Tyson zen...será que convenceu??
E se não bastasse tudo isso...o filme é uma comédia (lógico), mas em determinados momentos a pessoa que assiste esquece desse detalhe, pois o sumiço do noivo ficou tão sério, mas tão sério mesmo que não ficarei surpreso (Ai promesses!!!) se alguém aqui disser que pensou que o Doug (o noivo) já havia “batido as botas”...mas aí quero que todos lembrem, quando esse momento chegar, que é um filme de comédia, acima de tudo....apesar de ter tiro e consequentemente, o baleado e hospital....eu mesmo...me fazia o tempo inteiro a pergunta....O que esses caras fizeram?????
Destaco o Zach Galifianakis que fez o cunhado gente boa o Allan...ele é o engraçado, o tresloucado, o biruta (há quanto tempo não leio ou escrevo isso!!!), se é o que posso dizer, pelo menos dos quatro personagens principais ele é o menos normal, além de tudo isso ainda é imitador do John Nash (cenas no cassino)....pois um é dentista (Stu) o outro é professor (Phil) e o noivo...bom...não lembro o que o noivo fazia...
Um dos pontos positivos do filme....ele não abusa de mulheres semi-nuas ou nuas e não usa situações humilhantes do ser humano para poder criar momentos “engraçados”....simplesmente é um filme que explora a situação do dia-a-dia e também daquilo que possa vir a acontecer com qualquer um e em qualquer lugar...afinal não é o cotidiano de ninguém aqui ir para Las Vegas de carro para participar de uma despedida de solteiro, porém é natural ver gente bebendo e fazendo coisas loucas e no dia seguinte dizer que não lembra de nada....é a desculpa que mais sai no Sorry show...
Phill é o professor..casado e com um filho, porém ele não esqueceu os tempos de solteiro e pelo que deu pra perceber...ele é o grande idealizador do “evento”...
Stu é um dentista, correto e “certinho”...vive oprimido pela namorada, que segundo ele é “violenta” e “transou com um Barman”...e com certeza para ele a despedida de solteiro do amigo será inesquecível....
Bom... Do noivo não vou falar muito, até por que ele passa a maior parte do filme sendo procurado, então...
Muita atenção em todas as partes com o bebê...tenho certeza que as meninas irão achar o guri uma gracinha....mas essa gracinha sofre bragarai...
A cena do terraço é fundamental para qualquer entendimento do filme, principalmente o discurso de Allan....que foi muito bem preparado pelo mesmo....
Na cena do casamento...a música que animou a festa depois do SIM, dos agora casados Doug e Tracy, com certeza será o hits de todos os casamentos daqui pra frente...
Ah...ia esquecendo...numa viajem...tenham sempre alguém como o Allan para ser seu co-piloto...afinal todas as orientações dele são seguras...
E lembrem-se...nunca façam uma aposta estando bêbados...aliás...nunca façam nada bêbados, afinal....vocês poderão estar muito encrencados no dia seguinte....
E assistam o filme até o fim, mas até o fim mesmo, pois é no fim que todas as perguntas, que são feitas durante o filme, serão respondidas...
Para esse filme eu não vou dar nota....afinal eu ri demais pra pensar nisso!!!
Se beber, não case (The Hangover)
Elenco: Bradley Cooper, Ed Helms, Zach Galifianakis, Heather Graham, Justin Bartha, Sasha Barrese, Rachael Harris.
Direção: Todd Phillips. Gênero: Comédia. Duração: 100 min. Distribuidora: Warner Bros. Estreia: 21 de Agosto de 2009
Curiosidades:
» É a maior bilheteria da história em comédias para maiores de 18 anos nos EUA, um sucesso de público.
» Lindsay Lohan recusou um papel de destaque na comédia 'Se Beber, Não Case', mas recusou por não gostar do roteiro. A personagem que atriz viveria seria de Jade, que acabou ficou com Heather Graham.
Ainda vale a pena ver...pois muita coisa eu não contei!!!!
para quem não viu o filme...


Agora estou no Twitter: http://twitter.com/alexandre_jorge
adicionem....mandem mensagem...sei lá...

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

EFEITO BORBOLETA 3

Acho que uma das funções do nosso blog, além de divulgar bons filmes, é também alertar aos “cinemeiros” sobre os péssimos. E eis aqui um bom exemplo disso: EFEITO BORBOLETA 3 – A REVELAÇÃO. E a primeira revelação quem faz sou eu: o filme é ruim pra cara...ca!! pensem num filme medíocre que você sai do cinema sem saber a razão dele existir e muito P da vida por ter gasto o seu dinheiro a toa. Pois é, esse é um filme assim.
Engraçado que o primeiro filme foi muito bom, mostrava um jeito novo de viajar no tempo e todas as conseqüências que qualquer alteração no passado poderia causar no futuro. Ashton Kutcher era o protagonista do filme e fazia o papel de um cara que tinha o “dom” de voltar no tempo toda vez que lia seu diário e sempre que ele queria arrumar alguma coisa errada, acabava piorando ainda mais, tudo por causa do famoso efeito borboleta que é um termo que se refere às condições iniciais dentro da
teoria do caos. Segundo a cultura popular, a teoria diz que, o bater de asas de uma simples borboleta poderia influenciar o curso natural das coisas e, assim, talvez provocar um tufão do outro lado do mundo. Sinistro né?
E foi em cima desse assunto que surgiu o primeiro filme, com um bom enredo e ótimos efeitos especias que fizeram do filme um sucesso e não precisava nem de continuação. Mas alguém da produtora After Dark Films achou que podia melhorar algo que já estava muito bom e acabou fazendo caquinha. Ashton Kutcher foi esperto e pulou logo fora de EFEITO BORBOLETA 2, que nem a presença da atriz ERICA DURANCE (A Lois Lane da série SMALLVILLE) salvou o filme. Pelas críticas negativas que li não tive nem vontade de ver o segundo, mais então surge o que seria a salvação da série, Efeito Borboleta 3!! Um filme tão bom quanto o primeiro, com a presença do ator Chris Carmack (de O.C. um estranho no paraíso) que seria o protagonista do filme. Sabendo disso resolvi ir conferir nos cinemas e saí de lá com aquela sensação de: PQP me enganaram!! No filme, um tal de SAM (Chirs Carmack) ganha dinheiro “viajando” no tempo para ajudar a polícia identificar alguns criminosos, a missão dele é essa: IDENTIFICAR e nunca INTERFERIR nos fatos passados. E dessa forma que ele vai vivendo tranquilamente com sua irmã JEENA, que é uma espécie de sua ajudante nas suas viagens temporais. Porem num belo dia aparece a irmã da namorada dele, que tinha sido assassinada 10 anos atrás, dizendo que precisava da sua ajuda pois tinha provas que o assassino da sua irmã ainda estava solto e que a pessoa que estava presa não era o verdadeiro assassino. A partir daí ele começa a viajar no tempo tentando impedir que sua amada seja morta, só que toda vez que ele interfere as coisas pioram cada vez mais!! inclusive o roteiro, a direção e a interpretação dos atores que vou te contar, é triste. Ainda tem umas cenas de mortes sem sentido que eu não entendi direito, pois já estava quase dormindo de tanto tédio.
Pois bem meus amigos, o filme é assim – um fiasco só (pelo menos em minha opinião), mas como há gosto pra tudo, acredito que ainda vai ter alguém que goste de DEFEITO...quer dizer, EFEITO BORBOLETA 3. Então você assiste se quiser, mesmo sabendo que a melhor parte do filme são os trailers hehehe... e fica meu conselho que ainda é preferível você economizar seu tempo e dinheiro, pois eu fiquei mordido por ter perdido o episódio de THE BIG BANG THEORY por causa dessa besteira! Deixo aqui o aviso e quem avisa amigo é né? Até a próxima. Câmbio e desligo.

domingo, 16 de agosto de 2009

Festival de Gramado 2009.

"Curumbiara" e "A teta assustada", foram os vencedores do Festival deste ano. O primeiro foi eleito o melhor filme Nacional e o segundo levou o prêmio máximo na mostra. A homenageada deste ano foi Xuxa....e..bom...lembro que eu postei alguma coisa sobre o Festival de Gramado há algumas semanas, elogiando muito até...e...Xuxa né??? pois é.. Vai aí então os vencedores deste ano...
LONGA NACIONAL
Melhor filme: “Corumbiara”, de Vincent Carelli
Melhor diretor: Vincent Carelli por “Corumbiara” e Paulo Nascimento por “Em teu nome”
Melhor ator: Leonardo Machado por “Em teu nome”
Melhor atriz: Vivianne Pasmanter, por “Quase um tango...”
Melhor roteiro: Sérgio Silva, por “Quase um tango...”
Melhor fotografia: Katia Coelho por “Corpos celestes”
Prêmio especial do júri: “Em teu nome”, de Paulo Nascimento
Melhor diretor de arte: Fabio Delduque, por “Canção de Baal”
Melhor trilha musical: Andre Trento e Renato Muller por “Em teu nome”
Prêmio da crítica: “Canção de Baal”, de Helena Ignez
Melhor filme, segundo o júri popular: “Corumbiara” de Vincent Carelli
Melhor filme, segundo o júri de estudantes de cinema: “Corumbiara” de Vincent Carelli
Melhor montagem: Mari Corrêa, por “Corumbiara”

LONGA ESTRANGEIRO

Melhor filme: “A teta assustada”, de Claudia Llosa
Melhor diretor: Claudia Llosa, por “A teta assustada”
Melhor ator: Horacio Camandule, por “Gigante” e Matías Maldonado, por “Nochebuena”
Melhor atriz: Magaly Solier de “A teta assustada"
Melhor roteiro: Adrián Biniez, por “Gigante”
Melhor fotografia: Guillermo Nieto, por “Lluvia”
Prêmio especial do júri: “La próxima estación” de Fernando Solanas
Prêmio da crítica: “Gigante”, de Adrian Biniez
Melhor filme, segundo o júri popular: “Lluvia” de Paula Hernández
Melhor filme, segundo o júri de estudantes de cinema: “A teta assustada” de Claudia Llosa

CURTAS

Melhor filme: “Teresa” de Paula Szutan e Renata Terra
Melhor diretor: Paula Szutan e Renata Terra, por “Teresa”
Melhor ator: Miguel Ramos, por “Teresa”
Melhor atriz: Juliana Carneiro da Cunha, por “O teu sorriso”
Melhor roteiro: Davi Pires e Diego Müller, por “Teresa”
Melhor fotografia: André Luiz de Luiz, por “Ernesto no país do futebol”
Prêmio especial do júri: “Olhos de ressaca” de Petra Costa
Melhor diretor de arte: Diogo Viegas, por “Josué e o pé de macaxeira”
Melhor trilha musical: Leonardo Mendes, por “Josué e o pé de macaxeira”
Melhor montagem: Gustavo Ribeiro, por “Teresa”

Prêmio da crítica: “O teu sorriso”, de Pedro Freire

Melhor filme, segundo o júri popular: “Josué e o pé de macaxeira” de Diogo Viegas
Melhor filme, segundo o júri de estudantes de cinema: “Olhos de Ressaca” de Petra Costa

É isso aí...ano que vem tem mais...

Xuxa....essa foi boa...!!!

Agora estou no Twitter: http://twitter.com/alexandre_jorge

adicionem....mandem mensagem...sei lá...

sábado, 15 de agosto de 2009

Um dia de cão!!!


O que era para ser definido em pouco mais de dez minutos, passa a durar mais de dez horas....Foi esse o sentido principal do filme, o que de fato nos leva a achar que esse dia foi “um dia de cão!”...
Em 22 de agosto de 1972 foi realizado o assalto a um banco no bairro do Brooklyn em Nova Iorque. Bom, os acontecimentos deste dia inspiraram os jornalistas americanos Thomas Moore e P. F. Kluge que escreveram artigos para o Ney York Daily News e então em 1975, foi escrito o roteiro por Frank Pierson e entregue ao diretor Sidney Lumet.
No filme Al Pacino é Sony e John Cazale é Sal....Não preciso falar nada sobre esses dois, pois o ano foi 1975 e eles haviam acabado de fazer o Poderoso Chefão Parte II (Al Pacino foi o Michael Corleone e John Cazale foi o Freddo Corleone)...ou seja, garantia de um excelente filme.
Mas no início, não parecia bem isso, pois..desde então o filme já demonstra certo drama...ainda mais por ser um filme com Al Pacino e John Cazale (a cara do Cazale já é um drama..um misto de nordestino cabeção e paraense Emo)....e como assaltantes...a pergunta seria...o Porquê dos filhos do Don Corleone estarem assaltando um banco?
Mas, o filme é um misto de drama e comédia, e então, você de fato reconhece fácil um grande ator...melhor ainda quando são dois grandes atores, juntamente com
Charles Durning e Chris Sarandon (foi casado com Susan Sarandon)...então, quem for assistir, poderá perceber que o filme inicia numa comédia passando para um drama e fica num determinado momento indefinido, até o ponto em que você tem de dar a própria definição daquilo que você está assistindo...legal né?
Pois é, Sonny e Sal juntamente com um terceiro comparsa entram num banco e iniciam o assalto...tinha tudo para acabar bem....se não fosse a desistência do “terceiro comparsa” e o fato de no cofre do Banco ter pouco mais de mil e trezentos dólares...ou seja...o assalto foi um fiasco...
Porem Sonny teve a “brilhante” idéia de queimar o livro de registros do Banco, isso antes de verificarem a “surpresa” que havia no cofre....
Bem, fogo gera fumaça, fumaça procura sempre uma saída fácil e muita fumaça acaba chamando a atenção....(o sinal de fumaça que tanto vimos, quando criança...os índios americanos usando nos desenhos, de fato era utilizado, acredite!)...e então alguém que passava por lá viu....chamou a polícia e o tal dia de cão se confirmou....
Depois disso meus amigos, foi só desespero e incertezas....Até por que o assaltante Sonny ganhou a simpatia do público, quando saiu do banco no inicio das negociações com o Sargento Moretti e gritou “Attica” para os curiosos que estavam acompanhando o desenrolar do assalto....Curiosamente o público aplaudiu o assaltante, que estava nada mais nada menos que se referindo a rebelião, que começou no dia 9 de Setembro de 1971, durou quatro dias e terminou com a morte de 39 pessoas, sendo 10 reféns num presídio no estado de Nova Iorque... e essa frase foi eleita a 86a. posição da lista "– 100 anos... 100 citações de filmes - do America Films Institute.
Só para os fãs (assim como eu!) e para os não-fãs do Dr. House o Médico flamenguista também cita a expressão Attica na terceira temporada quando se mostra indignado com uma decisão da Drª Lisa Cuddy..sua chefe...
Sendo assim...os assaltantes passam a contar com a simpatia de parte da população...e o assalto passa a ser um grande ato de protestos de pessoas que ainda estavam indignadas com as atitudes da Polícia de Nova Iorque no caso Attica...mas não parou por aí....Sonny e Sal trataram muito bem os “reféns” com cortesia e educação, sendo que em determinado momento...Sal pede que uma “refém” não fume..para que a nicotina não prejudique o corpo que é o templo do Senhor...interessante isso, pois o dialogo é o seguinte....Refém:” -por que você não fuma?”...Sal: “- Por que não quero ter câncer!”...três anos depois o ator John Cazale morria e o motivo foi câncer nos ossos....
Além de tudo isso....Sonny ainda era homossexual....pois é...e revelação foi feita de forma que a maior parte da comunidade Gay o apoiassem, a "esposa" apareceu (mas Sonny tinha também uma esposa mulher e filhos)...ou seja, foi o caso em que o assaltante passou a ser visto como herói e em determinado momento é inevitável não torcer contra a polícia....não, não é parecido com Inimigos Públicos (último filme que comentei aqui)..ou será que é???
Bom...algo também interessante...e tenho certeza que o Érico vai querer conferir...e a conversa dos personagens....Sonny e Leon (Chris Sarandon)....marido e “mulher”...respectivamente....mas por que eu disse que o Érico iria querer conferir isso??...
Por que toda a conversa foi improvisada...não tinha texto...mais de oito minutos de conversa....é muita coisa pra ser inventada.... muito talento....
O final....não foi bom para os assaltantes....e também nesse filme, o repórter do ex - Canal Livre poderia entrar em cena e dizer “o criiiiiiiiime não commmmmpennnnnnnsaaaaa!!!!”....ainda mais com um motivo para o assalto ser tão....digamos...exótico....
Sonny assaltou o Banco para conseguir dinheiro e pagar a operação de mudança de sexo da “esposa”....tá tudo lá no filme....e confirmado pela história...
Olha..amigos...eu me surpreendi com o filme....sou fã do Al Pacino e do John Cazale...não nego...mas achei que fosse um filme sem graça, apenas um filme de assalto comum do tipo que os assaltantes são cretinos e cruéis e que no fim são fuzilados e todo mundo torce pelo policial com gel no cabelo e que as meninas suspiram por ele e que no fim será o autor do tiro que matará o líder do bando....mas com esse filme foi diferente...
Minha opinião sobre os filmes biográficos ainda é a mesma...os roteiristas deveriam preservar a história real, o que de fato aconteceu...aí sim, o entretenimento teria uma razão de ser...Que bom se você pudesse se divertir e aprender alguma coisa ao mesmo tempo né? Pois é...mas cito isso por alguns motivos....
O filme é excelente, na minha opinião...mas peca em alguns aspectos....um deles é que todo o assalto deveria durar pelo menos 12 horas...ou quase isso...e em determinado momento você não percebe a passagem do tempo....Você facilmente pode se confundir e achar que é noite...mas aí o filme te mostra que é dia....e isso causa uma certa confusão...Acho que posso classificar isso como isso de descontinuidade. ou erro de continuidade sei lá..o Érico pode falar melhor do que eu....quem foi o continuísta???? Hehehehehe
Outros erros foram de roteiro mesmo....Leon a “esposa” do Sonny..na verdade se chamou Ernest Aron....e teve morte cerebral declarada uma semana antes do assalto, portanto não deveria aparecer de maneira “ativa” no filme....apesar de que nas considerações finais....informa que Leon vive como mulher em Nova Iorque....
Outra é que...bom...o Sal morre no final...(rimou, foi sem querer!!!) e no momento do acontecido a Polícia já havia imobilizado os dois assaltantes, quando um dos “Cops” resolveu atirar em Sal, o que o levou a morte (determinados tiros não matam!).....Essa última informação foi prestada pelo próprio Sonny que em 1975 (no ano de lançamento do filme) escreveu um artigo citando as verdades e mentiras do relato cinematográfico.
Esses roteiristas pensam que somos manés...
Porém...tudo isso, olhando pelo lado entretenimenteiro da coisa...ou um olhar cinemeiro..o filme é muito bom....e surpreendente....minha nota seria alta...pois de fato...assistindo, me surpreendi com muitas coisas. do filme..mas como nem tudo é perfeito...a história de Sonny Wortzik leva uns 7.9...e com louvor....valeu pelo esforço do Frank Pierson....mas eu não gostei das adaptações inventivas...
Porém eu não sou o senhor da verdade...e na época muitos críticos especializados em cinema elogiaram o filme, que ganhou repercussão e rendeu os seguintes prêmios em 1976...OSCAR....melhor Roteiro adaptado (isso por que eu não votei, nem nascido era...Oh God!!!!), BAFTA no Reino Unido... melhor ator para Al Pacino e melhor edição, venceu também o prêmio David di Donatello na Itália...as indicações foram...
OSCAR...melhor ator (Al Pacino), melhor ator coadjuvante (Chris Sarandon), melhor filme, melhor diretor, melhor montagem...BAFTA indicado nas categorias de melhor direção, melhor filme, melhor roteiro e melhor trilha sonora....GLOBO DE OURO..indicado para melhor diretor de cinema, melhor filme - drama, melhor ator novato em cinema - drama (Chris Sarandon), melhor roteiro de cinema, melhor ator coadjuvante (John Cazale e Charles Durning).
E por aí foi....as vezes é bom ver um filminho antigo...se bem que filmes dos anos 70 não são antigos...pelo menos para mim....né??
Um forte abraço!!!
Agora estou no Twitter: http://twitter.com/alexandre_jorge

adicionem....mandem mensagem...sei lá...

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

G.I.JOE - Comandos em Ação

Há exatamente um mês atrás fiz uma postagem chamada "NOVAS ADAPTAÇOES - COMANDOS EM AÇÃO" (quem quiser pode dar uma conferida no arquivo) na qual fazia uma prévia de como viria ser o filme G.I. Joe, pois bem, o filme estreiou, eu já assisti e agora vamos aos comentários!!
G.I. Joe - o filme, é inspirado em uma linha de bonecos de brinquedos criados em 1964 pela empresa HASBRO(a mesma que também fazia os brinquedos dos Transformers, que também já viraram filme) e que de início mediam 30cm e se chamavam Falcon, com o passar do tempo e por volta da década de 80 os bonecos foram diminuindo de tamanho, passando a medir 9.5cm, ganhando versões de desenho animado para a TV e gibi. Passaram então a ser conhecidos no Brasil como COMANDOS EM AÇÃO! eu mesmo cheguei a ter vários bonecos (que meigo) e vale ressaltar que cada um possuia características e armas próprias, sendo diferentes um do outro, que levava os pais ao desespero pois a criançada não se contentava em ter um só e as vezes ainda tinha que adquirir os veículos, as bases e nào somente os bonecos do "bem" como também os do "mal". Era um sufoco.
Os COMANDOS EM AÇÃO fizeram parte não só da minha infância, mas também da de vários marmanjos que mal podiam esperar pra ver a versão cinematográfica de um dos desenhos mais legias da década de 80, e diria até um desenho à frente de seu tempo pois mostrava o uso de várias tecnologias e armas altamente avançadas pra época. Lembro-me que um truque muito usado em filmes como MISSÃO IMPOSSÍVEL de se disfarçar com o rosto da outra pessoa já era usada nos desenhos, assim como a utilização de CD ao invés de fita, para o armazenamento de algum dado o desenho já mostrava.
E depois de tanta espera esse dia chegou pois exatamente no dia 07/08, o filme estreiou estreiou mundialmente, aqui no Brasil com cópias dubladas e legendadas. Bom, ao contrário do meu parceiro Alexandre, não custumo a dar notar aos filmes e sim conceitos, e depois de assitir o que eu poderia dizer é que o filme é MUITO BOM...mais podia ser melhor. Vou explicar! muito bom porque como todo fan de filmes de ação não há como não ficar de queixo caído com as cenas de ação que são espetaculares e na sua grande maioria realizadas com o auxilío da computação gráfica, outra coisa é a emoção de ver um brinquedo, um desenho, ganhar a versão de "carne-e-osso" dos cinemas que é demais. Porém, acho que só isso não é o suficiente se não estiver aliado à um bom roteiro... e isso G.I. Joe não tem!! O filme tem uma trama fraca e ao mesmo tempo confusa, e eu mesmo ouvi alguns comentários, ao sair do cinema, do tipo: "gostei mais não entendi quase nada". Esse tipo de relação não pode existir entre a pláteia e a película pois só ação desenfreada, por mais que seja bom, não sustenta um filme por muito tempo. Além do mais, a propaganda boca a boca ainda é a melhor de todas, por isso o espectador espera sair da sessão no mínimo satisfeito (para poder divulgar o filme aos amigos) e não cheio de dúvidas e sem saber explicar nada o porquê que as coisas aconteceram. Mas pra quem só procura um bom divertimento por alguns minutos tenho certeza que encontrará no filme um bom entretenimento.Mais vamos à história em si. Na trama, os G.I. Joe são um grupo de soldados de elite das mais diferentes nacionalidades que usa a mais moderna tecnologia para deter o corrupto vendedor de armas chamado Destro e o surgimento da cada vez mais poderosa e ameaçadora organização chamada Cobra, que quer acabar com o mundo como conhecemos. Claro que o filme conta com personagens marcantes vindos do desenho e com nomes pra lá de estrambólicos tais como: Storm Shadow, Snake Eyes, Heavy Duty,Destro, Baronesa entre outros!! e por falar em Baronesa...nham,nham que Baronesa mermão!! interpretada pela lindíssima atriz Sienna Miller que teve que malhar pra valer durante quatro meses,pra interpretar o papel chegando a ganhar 3 quilos só de musculos e o resultado? aiai, não vou nem contar pra não estragar a surpresa.
Os Joes, são liderados pelo general Hawk (Dennis Quaid) e entre seus principais comandados estão: a gatissíma Scarlett(Rachel Nichols), Ripcord (Marlon Wayans), Duke(Channing Tatum), Breaker(Saïd Taghmaoui), além dos já citados: Heavy Duty (Adewale Akinnuoye-Agbaje) e Snake Eyes(Ray Park) que é o ninja do grupo e arquiinimigo de Storm Shadow (Byung-hun Lee), o ninja das organizações COBRA, cujas as cenas de lutas são uma das mais aguardadas pelos fans. Claro que os personagens tentam ser o mais fiel possivel ao desenho mais nem sempre isso é possível, mesmo assim o resultado final ainda agrada. Um detalhe que pode passar despercebido para alguns e a "ponta" que o astro Brendan Fraser faz no filme (amigo do diretor Stephen Sommers, o mesmo e A Múmia e VAN HELSING), aparecendo rapidamente durante o treinamento dos Joes, mais você "cinemeiro" fique esperto pra não passar batido.

Do outro lado, não posso contar muito pra não estragar a surpresa - mais fora a Baronesa e Storm Shadow, vale dar uma atenção especial ao personagem DESTRO (que não é canhoto hehe..), que era um dos meus favoritos no desenho e que no filme tem um papel fundamental como o mercador de armas que de certa forma ajuda na tal falada "origem de COBRA", cuja suas bases não deixa nada a desejar aos Joes no quesito sofisticação. Bom pra finalizar, gostaria de dizer que o filme G.I. JOE apesar de ter um roteiro fraco (e olha que eram 3 roteiristas), acho que público no geral vai gostar, pois é cheio de cenas de ação, lutas bem coreografadas, personagens com armamentos de ultima geração e uma tecnologia pra lá de futurística que fariam até as maiores empresas do mundo babar de inveja. E uma atenção especial na cena que se passa em Paris que é de tirar o fôlego e termina "só" com a destruição da Torre Eiffel, ops...foi mal!!. Tudo isso aliado as vezes com uma dose de humor e uns flashbacks meio sem noção mais tudo bem. Vale conferir, por sua conta e risco é claro hehe...até a próxima pessoal. Câmbio e desligo!!

domingo, 9 de agosto de 2009

ANJOS DA NOITE 3 - A REBELIÃO

Lembro de quando Vampiros e Lobisomens eram personagens de filmes de terror e causavam o maior medo na platéia. Hoje em dia tanto esse conceito como até mesmo as características desses personagens mudaram; Lobisomens, por exemplo, podem se transformar quando quiserem e nem precisa lua cheia! E pra matar um Vampiro, esqueça estaca de madeira ou crucifixo, o negócio agora é metralhadora com carga de luz ultravioleta ou uma espadada certeira no meio da cara.
Além disso, as duas raças agora são inimigas mortais e vivem saindo na porrada como aconteceu no filme VAN HELSING e, principalmente, na série de filmes ANJOS DA NOITE cujo seu terceiro volume chega em DVD. Mas antes de começar a falar do filme, permitam-me fazer uma pequena observação sobre o título ”ANJOS DA NOITE” putz!! eu assisti aos 3 filmes e sinceramente não vi um anjinho sequer, aí eu me pergunto, porque os distribuidores aqui do Brasil colocaram esse título tão sem noção já que a tradução mais adequada seria “Submundo” uma vez que o título original é UNDERWORLD. Coisas de “marketing”, vai entender né?
O terceiro filme da saga volta no tempo para contar o conflito entre os aristocráticos vampiros conhecidos como “mercadores da morte” comandados por VIKTOR (Bill Nigh), contra LUCIAN (Michael Sheen), um servo de Viktor que depois irá se tornar líder dos LYCANS – uma espécie de lobisomem que consegue voltar a forma humana quando quiser, os que não conseguem são chamados apenas de lobisomem mesmo. Tudo isso acontece por que Lucian se apaixona (o amor é lindo e perigoso!!) por SONJA (Rhona Mitra), a filha de Viktor, e daí que tem início a guerra entre as duas entre as duas espécies já que essa união é proibida, isso acaba sendo o motivo que faltava para que Lucian troque de lado e lidere a rebelião dos Lycans. Vale a pena lembrar que a história desse filme se passa antes mesmo dos eventos do primeiro e por isso que vemos personagens que já morreram (Lucian, Viktor, Raze) aparecendo de novo. Ironicamente no primeiro filme, Lucian e os lycans eram os vilões, já nesse a história muda e vemos que os verdadeiros vilões são os vampiros e os lobisomens não passam da classe oprimida e escravos dos vampiros.
O DVD possui uns extras bacanas como: filme com comentário do diretor e produtor, detalhes sobre a criação do figurino e cenários, a origem dos feudos, curiosidades sobre as mudanças feitas no roteiro e uma espécie de clip-trailer sobre o filme. ANJOS DA NOITE 3 - A Rebelião, tem ótimas cenas de ação, efeitos visuais impressionantes e um visual meio dark-noir iguais aos outros, mas que fique claro que é um filme de ação e não de terror e quem quiser se assustar ou sentir medo com alguma cena, é melhor assistir o thriller de Michael Jackson que com certeza da mais sustos hehehe...Até a próxima, câmbio e desligo!

terça-feira, 4 de agosto de 2009

A ERA DO GELO 3...D!!

Olá pessoal, depois de um bom tempo sem postar estou de volta pra comentar sobre aquilo que mais gostamos, ou seja, CINEMA. E hoje, a bola da vez é a brilhante animação – A ERA DO GELO 3. Pra quem ainda não assistiu não sabe o que está perdendo, pois é garantia de um bom divertimento, muitas risadas e agora com um atrativo a mais, as versões em 3-D. Se o primeiro filme o tema foi à amizade, o segundo podemos dizer que foi o amor já que o Manny se apaixonou pela Ellie, nesse podemos dizer que o tema principal é a FAMÍLIA. Não que não tenha amizade e amor nesse ultimo, mas pra quem assistiu sabe que o tema mais evidente é sem dúvida a família mesmo.
Bom, desta vez o grupo tem a missão de resgatar o abilolado Sid que foi levado para o “mundo perdido”, habitado por dinossauros e outros monstros pré-históricos, tudo porque insistia em achar que era o pai, ou melhor, a mãe (como ele mesmo diz) de três filhotes de dinossauro! Nesta aventura surge um novo personagem, Buck, uma doninha caçadora de dinossauros, totalmente pirada, que tem apenas um olho e vai servir de guia para o grupo. Devo ser sincero com vocês, por isso vou dizer que achei os primeiros minutos do filme um pouco monótono, porém quando a ação começa é simplesmente demais e se visto em 3-D é melhor ainda obviamente. Tem vezes que acontecem duas ou três coisas com o bando ao mesmo tempo e é aquele ritmo de aventura misturado com humor, para escapar do perigo, que poucas vezes conseguimos ver em outras animações mais que ainda conseguimos encontrar por aqui. Este é o 2º filme da série dirigido e escrito pelo brasileiro Carlos Saldanha e pra quem não sabe, o nome do dentes-de-sabre Diego é em homenagem ao filho do diretor. O orçamento de A Era do Gelo 3 foi de US$ 90 milhões e já é o filme de maior bilheteria de todos os tempos em vários países – Bulgária, Colômbia, Costa Rica, Equador, Estônia, Lituânia, México, Peru, Romênia, Rússia, Uruguai e Venezuela. Com US$ 514, 7 milhões, a produção ocupa o segundo lugar na lista de animações de maior bilheteria internacional da História. E que bom saber que tudo isso devido a um talento “made in Brazil”. Só fica aqui uma resalva, os dinossauros nunca viveram na mesma época que os mamutes ou dentes-de-sabre, mas como diria o proprio Saldanha: “isso é uma licença poética, digamos assim, pois qualquer estudante de geologia sabe que essas espécies nunca existiram ao mesmo tempo - foi apenas um ajuste pra compor a história”. Que por sinal, ficou muito boa.
Vale ressaltar também o trabalho dos dubladores. O novato Buck é dublado por Alexandre Moreno (a voz de Ben Stiller e Adam Sandler no Brasil), que se junta a um dos melhores elencos de dublagem de todas as séries animadas no cinema por aqui. Não se perde nada assistindo A Era do Gelo 3 na versão em português graças a Diogo Vilela (Manny), Márcio Garcia (Diego), Cláudia Jimenez (Ellie) e o excelente Tadeu Mello (Sid). Bem, contar mais acho que acabaria entregando alguma coisa. Então é melhor terminar por aqui e fica meu conselho de um bom divertimento não só para as crianças mais para a família toda, pois como eu falei no inicio, esse é o tema principal, ou seja, o valor que ela tem. Vale a pena conferir enquanto ainda está nos cinemas em 3-D. Grande abraço a todos. Câmbio e desligo!!